sábado, 28 de dezembro de 2013

História do Movimento Reformado [18/25]

PRIMÓRDIOS REFORMADOS NOS ESTADOS UNIDOS

Um dos eventos mais decisivos para a história do movimento reformado foi a implantação da fé calvinista nos Estados Unidos da América, de onde a mesma se difundiu para muitas outras partes do mundo, inclusive o Brasil. O calvinismo foi levado para a América do Norte por três grupos distintos de europeus: os puritanos ingleses, os reformados continentais e os presbiterianos escoceses-irlandeses.

Os primeiros a chegarem, em 1620, foram os puritanos que fugiam da intolerância religiosa na Inglaterra na época do rei Tiago I. Eles se fixaram na região da Nova Inglaterra, fundando, entre outras, as colônias de Massachusetts e Connecticut. Muitos desses puritanos estavam ligados à Igreja da Inglaterra (Anglicana), mas com o passar do tempo criaram a Igreja Congregacional, com suas congregações locais autônomas. O puritanismo americano manteve-se relativamente estável e dinâmico até meados do século 18, na época do importante avivamento conhecido como Primeiro Grande Despertamento. O líder mais importante desse período foi o notável pastor e teólogo Jonathan Edwards (1703-1758), da cidade de Northampton.

Nas décadas seguintes, a influência do deísmo e do racionalismo marcaram o fim do puritanismo norte-americano. Por volta de 1800, a maior parte das antigas igrejas congregacionais da Nova Inglaterra se tornaram unitárias, abandonando a tradicional crença cristã na Trindade. Nessa época, sob o impacto das mesmas influências, as célebres instituições de ensino fundadas pelos puritanos se secularizaram, principalmente os colégios de Harvard (1636) e Yale (1701). No meio dessas perdas, os congregacionais se esforçaram por manter a sua identidade. Eles foram muito ativos na evangelização da fronteira oeste e, reagindo contra a liberalização de Harvard, criaram o Seminário de Andover (1807), o primeiro dos Estados Unidos. Alguns alunos dessa escola pioneira criaram em 1810 a Junta Americana de Comissionados para Missões Estrangeiras, que deu origem ao vigoroso movimento missionário mundial do século 19.

A fé reformada também foi levada às colônias da América do Norte por diferentes grupos da Europa continental que adotavam a forma de governo presbiterial. Os primeiros foram os holandeses, que fundaram Nova Amsterdã (a futura Nova York) em 1623. Eles e seus descendentes organizaram a Igreja Reformada da América (1792) e a Igreja Cristã Reformada (1847). Os huguenotes franceses também foram em grande número para o novo país, fugindo da perseguição religiosa em sua pátria resultante da revogação do Edito de Nantes, em 1685. Especialmente numerosos e influentes foram os reformados alemães, que emigraram entre 1700 e 1770 e se fixaram principalmente na Pensilvânia, de onde foram para o vale da Virgínia e as Carolinas do Norte e do Sul. A maior parte deles filiou-se à Igreja Reformada dos Estados Unidos (1793). Existe também a pequena Igreja Reformada Húngara da América (1924). A maior parte dessas denominações reformadas adotaram como suas bases doutrinárias a Confissão Belga, o Catecismo de Heidelberg e os Cânones do Sínodo de Dort. Com o passar dos anos, muitos desses imigrantes e seus descendentes ingressaram na Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos da América.
_____________________
Por Alderi Souza de Matos
Fonte Mackenzie
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...