sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

O Amor de Deus é Soberano [03/07]

The_Cross_oil_painting_L5
“3. O amor de Deus é soberano. 

Isso também é evidente em si mesmo. Deus é soberano, não deve obrigação a ninguém; Ele é Sua própria lei e age sempre de acordo com a Sua vontade dominadora. Assim, pois, se Deus é soberano e é amor, infere-se necessariamente que o Seu amor é soberano. Porque Deus é Deus, faz o que Lhe agrada; porque é amor, ama a quem Lhe apraz. Eis a Sua própria afirmação expressa: “… amei Jacó e aborreci Esaú” (Romanos 9:13). Em Jacó não havia mais razão do que em Esaú para ser objeto do amor divino. Ambos tinham os mesmos pais e, gêmeos que eram, nasceram na mesma hora. Contudo, Deus amou um e aborreceu o outro. Por que? Porque assim Lhe aprouve.
A soberania do amor de Deus infere-se necessariamente do fato de que nada do que há na criatura o influencia. Portanto, afirmar que a causa do Seu amor está em Deus é outro modo de dizer que Ele ama a quem Lhe apraz. Por um momento, suponha o oposto. Suponha que o amor de Deus fosse governado por outra coisa que a Sua vontade, caso em que Ele amaria seguindo alguma norma e, amando por alguma norma, Ele estaria subordinado a uma lei do amor e, então, longe de ser livre, Deus seria governado por uma lei. “Em amor nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo” — o quê? Alguma virtude que previu neles? Não. O que, então? — “…  segundo o beneplácito de sua vontade” (Efésios  1:4-5).”
________
A. W. Pink, Atributos de Deus, cap XV, (Ed. PES)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...