segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

O Evangelho: Alguns Zombam, Alguns Esperam e Alguns Crêem

 
E, como ouviram falar da ressurreição dos mortos, uns escarneciam, e outros diziam: Acerca disso te ouviremos outra vez. E assim Paulo saiu do meio deles. Todavia, chegando alguns varões a ele, creram: entre os quais estava Dionísio, o areopagita, e uma mulher por nome Dâmaris, e, com eles, outros. (Atos 17:32-34)
Em outras palavras, alguns zombaram, alguns esperaram e alguns creram. Ou, podemos dizer que a mensagem do evangelho produz em seus ouvintes provocação, procrastinação ou profissão.

Como a Bíblia explica estas diferentes reações? Os cristãos humanistas explicam as diferentes reações das pessoas ao evangelho pelo livre-arbítrio humano, mas eles não podem mostrar a coerência do livre-arbítrio humano em si mesmo, nem podem providenciar justificação bíblica para ele. Por outro lado, o próprio livro de Atos nos fornece a explicação apropriada, ou seja, que as pessoas respondem diferentemente porque Deus escolheu alguns e outras não:
No sábado saímos da cidade e fomos para a beira do rio, onde esperávamos encontrar um lugar de oração. Sentamo-nos e começamos a conversar com as mulheres que haviam se reunido ali. Uma das que ouviam era uma mulher temente a Deus chamada Lídia, vendedora de tecido de púrpura, da cidade de Tiatira. O Senhor abriu o seu coração para atender à mensagem de Paulo (Atos 16:13-14. NVI). 
No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniu para ouvir a palavra do Senhor. Quando os judeus viram a multidão, ficaram cheios de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo estava dizendo. Então Paulo e Barnabé lhes responderam corajosamente: “Era necessário anunciar primeiro a vocês a palavra de Deus; uma vez que a rejeitam e não se julgam dignos da vida eterna, agora nos voltamos para os gentios. Pois assim o Senhor nos ordenou: “ 'Eu fiz de você luz para os gentios, para que você leve a salvação até os confins da terra' ”. Ouvindo isso, os gentios alegravam-se e bendisseram a palavra do Senhor; e creram todos os que haviam sido apontados para a vida eterna (Atos 13:44-48).
Lídia creu no evangelho porque “O Senhor abriu o seu coração”, e aqueles gentios que creram no evangelho assim o fizeram porque eles foram “sido apontados para a vida eterna”. Visto que todos os que foram assim apontados também creram (13:48), e nem todos creram, segue-se que nem todos foram apontados para a vida eterna. Da mesma forma, em Atos 17, todos aqueles que foram apontados para a vida eterna creram, e o resto respondeu exatamente como eles deveriam como réprobos que são:
Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus... Os judeus pedem sinais miraculosos, e os gregos procuram sabedoria; nós, porém, pregamos a Cristo crucificado, o qual, de fato, é escândalo para os judeus e loucura para os gentios; mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus (1 Coríntios 1:18, 22-24, NVI).
Devido à sua própria depravação e loucura, os réprobos consideram a mensagem do evangelho como loucura, mas nós podemos derrotá-los na argumentação:
Pois está escrito: “Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o erudito? Onde está o questionador desta era? Acaso não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio de sabedoria, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação (1 Coríntios 1:19-21, NVI).

Nota sobre o autor: Vincent Cheung é o presidente da Reformation Ministries International [Ministério Reformado Internacional]. Ele é o autor de mais de vinte livros e centenas de palestras sobre uma vasta gama de tópicos na teologia, filosofia, apologética e espiritualidade. Através dos seus livros e palestras, ele está treinando cristãos para entender, proclamar, defender e praticar a cosmovisão bíblica como um sistema de pensamento compreensivo e coerente, revelado por Deus na Escritura. Ele e sua esposa, Denise, residem em Boston, Massachusetts.

Extraído e traduzido do livro Presuppositional Confrontations de Vincent Cheung, páginas 75-76. 
Fonte: Monergismo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...