quarta-feira, 2 de abril de 2014

A Doutrina Reformada da Predestinação - Livro 3 [01/08]


Objeções Comumente Levantadas Contra a Doutrina Reformada da Predestinação:

O QUE É FATALISMO?

Muitos mal-entendidos se apresentam através da confusão da Doutrina Cristã da Predestinação com a doutrina pagã do Fatalismo. Há, na realidade, somente um ponto de acordo entre as duas, o qual é, que ambos assumem a absoluta certeza de todos eventos futuros. A essencial diferença entre eles é que o Fatalismo não tem lugar para um Deus pessoal. A Predestinação sustenta que os eventos ocorrem porque um Deus infinitamente sábio, poderoso e santo tem assim lhes apontado. O Fatalismo sustenta que todos eventos ocorrem através de uma força cega, não-inteligente, não-moral que não pode ser distinguida por necessidade física, e que nos carrega desamparadamente dentro de seu alcance como um poderoso rio carrega um pedaço de madeira.

Predestinação ensina que desde a eternidade Deus tem tido um plano especial ou propósito o qual Ele está trazendo a perfeição através desta ordem do mundo de eventos. Ela sustenta que todos Seus decretos são determinações racionais fundamentadas em suficiente razão, e que Ele tem fixado um único grande objetivo "para o qual toda a criação se move." Predestinação sustenta que os desígnios finais neste plano são primeiro, a glória de Deus; e segundo, o bem de Seu povo. Por outro lado, o Fatalismo exclui a idéia de causas finais. Ele arrebata as rédeas do império universal das mãos de infinita sabedoria e amor, e as dá às mãos de uma necessidade cega. Ele atribui o curso da natureza e as experiências do gênero humano a uma força desconhecida e irresistível, contra a qual é vão lutar e infantil amofinar-se.

De acordo com a doutrina da Predestinação, a liberdade e responsabilidade do homem são completamente preservadas. No meio da certeza, Deus ordenou a liberdade humana. Porém, o Fatalismo não permite poder de escolha, nem auto-determinação. Ele faz os atos dos homens serem totalmente fora de seu controle assim como são as leis da natureza pessoal, energia abstrata; não tem nenhum lugar para as idéias morais, enquanto que a Predestinação faz destas a regra de ação para Deus e o homem. O Fatalismo não tem lugar para e não oferece nenhum incentivo para a religião, amor, misericórdia, santidade, justiça, ou sabedoria, enquanto que a Predestinação dá a estes a base concebível mais forte. E finalmente, o Fatalismo conduz cepticismo e desespero, enquanto que a Predestinação apresenta as glórias de Deus e de Seu reino em todo seu esplendor e dá uma segurança que nada pode abalar.

A Predestinação, portanto, difere do Fatalismo tanto como os atos de um homem difere dos atos de uma máquina, ou tanto como o amor infalível do Pai celestial difere da força da gravitação.

"Ela nos revela", diz Smith, "a gloriosa verdade que nossas vidas e nossos corações sensíveis estão guardados, não nas rodas dentadas de ferro de um vasto e cruel Destino, nem no tear giratório de uma louca Chance, mas nas todo-poderosas mãos de um infinitamente bom e sábio Deus". 1

Calvino enfaticamente repudiou a acusação que sua doutrina era Fatalista. "Fatal [destino]", disse ele, "é um termo dado pelo Estóicos a sua doutrina de necessidade, que eles tinham formado como resultado de um labirinto de raciocínios contraditórios; uma doutrina calculada para chamar o próprio Deus para ordenar, e para fixar Suas leis segundo as quais trabalha. Predestinação eu defino ser, de acordo com as Sagradas Escrituras, aquele livre e irrestrito conselho de Deus pelo qual Ele governa toda a humanidade, e todos os homens e coisas, e também todas as partes e partículas do mundo por Sua infinita sabedoria e incompreensível justiça". E outra vez,"...., tivesse você apenas estado disposto a olhar para meus livros, haveria se convencido imediatamente quão ofensivo para mim é o profano termo fatal [destino]: e além disso, você deve ter estudado que este mesmo termo abominável foi arremessado nos dentes de Agostinho pelos seus oponentes." 2

Lutero disse que a doutrina do Fatalismo entre os pagãos é um prova de que "o conhecimento da Predestinação e da Presciência de Deus, não foi menos abandonada do que a noção da própria divindade" 3 . Na história da filosofia Materialista comprovou-se a si mesma essencialmente fatalística. O Panteísmo também tem sido fortemente modificado com isto.

Nenhum homem pode ser um fatalista consistente. Porque para ser consistente, ele teria que considerar algo como isto: "Se eu morrer hoje, não me fará nenhum bem comer, porque morrer de qualquer jeito. Nem necessito comer se devo viver muitos anos todavia, porque viverei de qualquer jeito. Portanto, não mais comerei". É desnecessário dizer que, se Deus predestinou que um homem viverá, Ele também pre-ordenou que ele será guardado da loucura suicida de recusar comer.

"Esta doutrina", diz Hamilton, "é somente superficialmente semelhante ao "fatal" pagão. O Cristão não está nas mãos de um determinismo frio e imutável, mas de um quente e amoroso Pai celestial, que nos amou e deu Seu Filho para morrer por nós no Calvário ! O Cristão sabe que "todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito". O Cristão pode confiar em Deus porque ele sabe que Ele é todo-sábio, amoroso, justo e santo. Ele vê o fim desde o princípio, de modo que não há razão para nos apavorarmos quando as coisas parecem ir contra nós."

Portanto, somente uma pessoa que não examinou a doutrina da Predestinação, ou alguém que é maliciosamente inclinado, irá imprudentemente declarar que ela é Fatalismo. Não há escusa para qualquer um, que sabe o que Predestinação é e o que Fatalismo é, cometer este engano.

Visto que o universo é uma unidade sistematizada, devemos escolher entre o Fatalismo que elimina em última instância mente e propósito, e esta bíblica doutrina da Predestinação, que sustenta que Deus criou todas as coisas, que Sua providência estende a todas Suas obras, e que enquanto Ele mesmo é livre, também providenciou que nós fossemos livres dentro dos limites de nossas naturezas. No lugar de nossa doutrina da Predestinação ser idêntica com a doutrina pagã do Fatalismo, ela é seu absoluto oposto e somente alternativa.

______________________________
Por Loraine Boettner, D.D.a
Fonte: Monergismo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...