quarta-feira, 28 de maio de 2014

A Doutrina Reformada da Predestinação - Livro 4 [02/05]


Segurança Pessoal

1. Bases Para Segurança. 2. Ensinamentos das Escrituras. 3. Conclusão


1. BASES PARA SEGURANÇA

Todos os verdadeiros Cristão podem e devem saber que eles estão entre aqueles que foram predestinados para a vida eterna. Desde que a fé em Cristo, que é uma dádiva de Deus, é o meio para a salvação, e desde que tal meio não é dado para qualquer um, mas para somente para os eleitos, a pessoa que sabe que tem esta fé pode estar segura de que está entre os eleitos. A simples presença da fé, não importa o quão fraca ela possa ser, desde que seja uma fé real, é uma prova de salvação. "...creram todos quantos (e somente eles, N.A.) haviam sido destinados para a vida eterna."[Atos 13:48]. A fé é um milagre da graça dentro daqueles que já foram salvos -- uma evidência espiritual de que a sua salvação foi "terminada" na cruz; e certificada na manhã da ressurreição. Os verdadeiramente salvos sabem que o amor de Deus foi irradiado, foi derramado nos seus corações e que os seus pecados foram perdoados. No livro "O Peregrino", lemos que quando os pecados do Cristão foram perdoados, um pesado fardo caiu dos seus ombros e que ele experimentou um grande alívio. Cada homem convertido deveria saber que encontra-se entre os eleitos, pois o Espírito Santo renova somente aqueles que são escolhidos pelo Pai e redimidos pelo Filho. "É tolice iludir-se que um amante sincero de Jesus Cristo, que confia nEle como o seu Salvador e amorosamente O ama como seu Senhor, possa possivelmente perder a eleição de Deus. É somente porque ele é um dos eleitos de Deus que ele pode crer em Cristo para a salvação da sua alma, e seguir após Cristo na conduta da sua vida.... É impossível, que um crente em Cristo não ser eleito de Deus, porque é somente pela eleição de Deus que ele se torna crente em Cristo.... Não precisamos, não devemos, buscar em nenhum outro lugar pela prova da nossa eleição. Se cremos em Cristo e O obedecemos, nós somos os seus filhos eleitos." 1

Cada um que ama a Deus e tem um desejo sincero de salvação em Cristo está entre os eleitos, pois os não eleitos nunca têm este amor ou este desejo. Ao contrário, eles amam o mal e odeiam a justiça, de conformidade com as suas naturezas pecadoras. "Um homem cumpre a sua tarefa para com Deus e para com o seu vizinho? Ele é honesto, caridoso, puro? Se ele o é, e se ele tem consciência do poder para continuar a sê-lo, tanto quanto ele possa depender dessa consciência, tanto quanto ele pode razoavelmente crer ser ele próprio predestinado para a felicidade futura." 2

"Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte."[I João 3:14]. "Aquele que é nascido de Deus não peca habitualmente; porque a semente de Deus permanece nele, e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus."[I João 3:9]. Ou seja, é contra os seus princípios íntimos cometer pecado. Quando ele pensa profunda e sobriamente a respeito disso, o pecado lhe é repulsivo e ele o odeia. Tanto quanto um bom cidadão Brasileiro não faz nada que seja em detrimento do seu país, também o verdadeiro crente nada faz que seja para injúria do reino de Deus. Como prática, ninguém neste mundo vive uma vida perfeita sem pecado; todavia tal é o standard ideal o qual ele procura alcançar.

Diz o Dr. Warfield, "Pedro nos exorta, em II Pedro 1:10 ("Portanto, irmãos, procurai mais diligentemente fazer firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis"), a fazer o nosso chamado e a nossa eleição firmes, precisamente pela diligência nas boas obras. Ele não quer dizer que através das boas obras nós podemos assegurar de Deus um decreto de eleição no nosso nome. Ele quer dizer que em expandindo o germe da vida espiritual que recebemos de Deus, até o seu total florescer, por 'trabalhar' a nossa salvação, claro que não sem Cristo mas em Cristo, nós possamos fazer-nos seguros de que realmente recebemos a eleição que reclamamos... As obras de Deus tornam-se assim a marca e o teste da eleição; e quando tomado no sentido compreensivo no qual Pedro aqui está pensando deles, eles são as únicas marcas e os únicos testes de eleição. Nós nunca podemos saber que somos eleitos de Deus para a vida eterna, exceto pelo manifestar dos frutos da eleição nas nossas vidas -- fé e virtude, conhecimento e temperança, paciência e bondade, amor de irmãos..... É inútil, sem propósito, buscar a segurança da eleição fora da santidade da vida. Precisamente para o que Deus escolheu o Seu povo antes da fundação do mundo, foi que eles fossem santos. Santidade, porque é o produto necessário, é portanto o sinal seguro da eleição." 3

Como diz Toplady, "Alguém que pelo menos seja familiar com a vida espiritual sabe certamente se realmente tem prazer na luz da face de Deus, ou se caminha em trevas, como o viajante sabe se viaja sob a luz do sol ou na chuva."

Como posso saber se encontro-me entre os eleitos? Alguém bem pode perguntar 'Como é que eu sei que sou um cidadão Brasileiro leal, ou como eu consigo distinguir entre preto e branco, ou entre doce e amargo?' Cada um sabe instintivamente o que a sua atitude é para com o seu país; e as Escrituras e a consciência nos dão evidência tão clara quanto a se estamos ou não entre o povo escolhido de Deus, quanto nos dão o preto e o branco com relação à sua cor, ou o doce e o amargo com relação ao seu sabor. Cada pessoa que já é um filho de Deus deveria estar plenamente consciente do fato. Paulo exortou aos Coríntios, "Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados."[II Coríntios 13:5].

2. ENSINAMENTOS DAS ESCRITURAS.

Nós temos a segurança de que "O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus."[Romanos 8:16]. "Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê, mentiroso o faz, porque não crê no testemunho que Deus de seu Filho dá". [I João 5:10]. "(11) E o testemunho é este: Que Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em seu Filho. (12) Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. (13) Estas coisas vos escrevo, a vós que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna."[I João 5:11-13]. O Cristão nascido de novo dão as boas vindas para o Evangelho no seu coração, mas o não regenerado O expulsa: "Nós somos de Deus; quem conhece a Deus nos ouve; quem não é de Deus não nos ouve. assim é que conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro." [I João 4:6]. "Quem guarda os seus mandamentos, em Deus permanece e Deus nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos tem dado." [I João 3:24]. "E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai." [Gálatas 4:6]. A pessoa regenerada instintivamente reconhece a Deus como o seu Pai. "Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte."[I João 3:14]. "Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é o nascido de Deus..." [I João 5:1], -- quer dizer, todos os que O confessam como seu Senhor -- que abençoada segurança ! ! "...sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele.[I João 2:29]. Aqueles que ouvem e que recebem o Evangelho são ativados por este salvador princípio íntimo.

"Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus."[João 3:36]. "Portanto vos quero fazer compreender que ninguém, falando pelo Espírito de Deus, diz: Jesus é anátema! e ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor! senão pelo Espírito Santo."[I Coríntios 12:3]. Através disto somos ensinados que uma pessoa verdadeiramente salva não pode descartar a Jesus nem vituperá-Lo; e que qualquer um que olhe para Jesus como o Senhor e seu Senhor, foi regenerado e está entre os eleitos. Isto, então, é uma prova da sua salvação. Cada pessoa sabe o que a sua atitude para com Jesus é; e sabendo isto, ela é capaz de julgar se está ou não salva. Que cada um faça a si mesmo esta pergunta, 'O que é a minha atitude para com Cristo? Ficaria contente se Ele aparecesse e viesse ao meu encontro neste momento? Receberia-O como meu Amigo, ou me retrairia de encontrar-me com Ele?' Aqueles que anseiam com alegria pela vinda de Cristo podem estar certos de que estão salvos.

Uma vez que certas marcas de salvação são estabelecidas nas Escrituras, um indivíduo, ao examinar-se honestamente, pode saber se encontra-se ou não entre o povo de Deus. E pela mesma regra ele pode, com cautela, observar os outros; pois se neles virmos os frutos exteriores da eleição e estivermos convencidos da sua sinceridade, podemos racionalmente concluir que eles também são eleitos. Paulo estava seguro com relação aos Crentes em Tessalônica, pois ele escreveu: "(4) conhecendo, irmãos, amados de Deus, a vossa eleição; (5) porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo e em plena convicção, como bem sabeis quais fomos entre vós por amor de vós."[I Tessalonicenses 1:4,5]. Ele também sabia que Deus havia escolhido os Efésios em Cristo, pois ele lhes escreveu: "(4) como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; (5) e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade,"[Efésios 1:4,5].

3. CONCLUSÃO.

Mas, por outro lado, não deveríamos dizer que nenhum indivíduo vivo não é eleito, não importa o quão pecador ele seja hoje; pois até mesmo o mais vilão dentre os vilões, tanto quanto sabemos, pode ser trazido à fé e ao arrependimento pelo Espírito Santo. A conversão de muitos dos eleitos ainda é futura. Assim é que ninguém tem o direito de declarar positivamente que ele ou qualquer outra pessoa esteja entre os não eleitos, pois ele não sabe o que Deus tem reservado para ele ou para eles. Podemos, no entanto, dizer que aqueles que morrem impenitentes estão certamente mortos, pois as Escrituras Sagradas são explícitas neste ponto.

Não podemos dizer que cada Cristão verdadeiro tem esta segurança, pois ela só nasce, apropriadamente, do conhecimento dos próprios recursos morais e da força de alguém; e aquele que subestima a si mesmo pode estar inocentemente sem tal conhecimento. O Cristão pode às vezes tornar-se desencorajado por causa de fé fraca, mas isto não prova que ele esteja entre os não eleitos. Quando a fé é fortalecida e pontos de vista errôneos quanto à salvação são clareados, o privilégio e a tarefa de cada Cristão é conhecer-se a si próprio com salvo, e fugir daquele temor de apostasia, o qual deve assombrar constantemente cada Arminiano consistente, tanto quanto ele continue nesta vida. Assim é que, enquanto a segurança é desejável e facilmente obtenível para qualquer um que tenha progredido no caminho Cristão, ela não pode ser sempre feita de teste para um verdadeiro Cristão.

Através das Escrituras, Deus repetidamente nos dá as promessas de que aqueles que vêm até Ele em Cristo não serão de forma alguma jogados fora, que quem quer que queira pode beber da água da vida sem dinheiro e sem preço, e que aquele que pede receberá. As bases para a nossa segurança, então, estão tanto dentro como fora de nós. Se, portanto, algum crente verdadeiro perde a segurança de que ele está salvo para sempre entre o povo de Deus, a falta encontra-se nele próprio, e não no plano de salvação, nem nas Escrituras.
______________________________
Por Loraine Boettner, D.D.a
Fonte: Monergismo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...