segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Qualificações dos presbíteros: não irascível

Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível Tt 1:7
Introdução

Esta é uma qualificação que faz parte de um grupo de qualificações que indicam maturidade emocional do presbítero. "Não irascível", particularmente, só aparece na lista de Tito. Esse é outro aspecto interessante: há requisitos que só aparecem em uma das listas. O que significa isso? Será que os presbíteros de Éfeso deveriam ser diferentes dos de Creta. Creio que tudo o que isso indica é que as listas não são exaustivas e o alvo do apóstolo é ajudar seus companheiros Timóteo e Tito a discernirem verdadeiros homens e cristãos maduros.

Nem todos os comentaristas comentam este item especificamente. Como eu disse acima, ele faz parte de um grupo de qualificações (não violento, inimigo de contendas, sóbrio, temperante, etc.) que indica maturidade emocional e elevado auto-controle. Os comentários foram listados em ordem alfabética.

Grego

• Em Tito μη οργιλοζ - me orgilos

Strongs - inclinado a ira / irascível

Rienecker e Rogers – inclinado a ira, de temperamento "quente", irascível

Comentários

• Broadman – tornar-se irado facilmente.

• D. A. Carson - (-)

• Jamieson, Fausset e Brown – (-)

• João Calvino – (-)

• John Gill – lento para se irar, o que mostra que um homem é homem de entendimento, e apto a ensinar outros, o que um homem irascível não é. É um dizer de R. Hillell que: "nem aquele que é envergonhado (para fazer perguntas) aprende bem, nem alguém que é "colérico" ensina bem". E os judeus dizem que: "a lei não é corretamente explicada a não ser por alguém que não é colérico". Por isso a direção: "que os homens sejam mansos como Hillell, e não irritáveis como Shammai"; que eram os dois principais doutores, os cabeças de suas escolas, nos tempos de Cristo. Um homem que domina seu próprio espírito, e tem o controle de seu temperamento e paixões, é apto a governar na igreja de Deus.

• John MacArthur – não se refere a explosões ocasionais, por pior que isso seja, mas a uma propensão a irar-se. A pessoa irritadiça é irascível. Ela tem um "pavio curto" e é facilmente provocada.

O servo do Senhor, por outro lado, "não vive a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente" (2 Tm 2:24). Ele deve ser "não violento, porém cordato, inimigo de contendas" (1 Tm 3:3). Como Tiago aponta: "A ira do homem não produz a justiça de Deus." (Tg 1:20). O pastor qualificado deve guardar-se cuidadosamente contra um espírito de hostilidade, ressentimento e ira - mesmo quando tudo na igreja parece ir mal e as pessoas são críticas e indiferentes. Ele é um homem capaz de delegar responsabilidade a outros que não irão cumprir uma tarefa exatamente da maneira que ele faria. Ele pode trabalhar com outros em gentileza, paciência e gratidão. Ele pode suportar as falhas de pessoas dedicadas, porém inexperientes, que estejam ao seu redor, até que elas aprendam a ser bem sucedidas. Seu ego não está apegado a tudo que é feito na igreja. Ele é rápido em compartilhar das falhas bem como dos sucessos de outros. Ele alegremente se submete a Deus e serve a todos.

• Matthew Henry – não alguém de temperamento impetuosamente irritável, rápida e facilmente provocado e inflamado. Quão inadequados são aqueles que governam a igrejam e não são capazes de governar a si mesmos, ou suas próprias paixões turbulentas e descontroladas! O ministro precisa ser manso e tranqüilo, e paciente para com todos os homens.

• New American Commentary – É um pré-requisito necessário para liderar pessoas. Alguém que não pode controlar suas próprias emoções não pode exercer julgamento apropriado sobre questões eclesiásticas, especialmente aquelas questões que inevitavelmente suscitam sentimentos fortes. Esta qualificação não impede que o presbítero tenha sentimentos fortes em relação a algum assunto. O que ela proíbe é uma reação impulsiva e divisiva que mais complica o problema do que ajuda a solucioná-lo.

• William MacDonald – Se o seu temperamento é instável, deve aprender a dominá-lo. Se é irritável, não deve demonstrá-lo.
Conclusão

Pode-se dizer que a infantilidade e descontrole emocional caracterizado por um espírito irritadiço e facilmente provocável não condiz com o presbítero. A estabilidade emocional é essencial ao exercício do pastorado. Onde não existe isso, a igreja sofre, e muito. Tem que haver um espírito brando, tranqüilo, controlado, ainda que firme, para que haja verdadeira liderança. Homens descontrolados e desequilibrados são a antítese de um verdadeiro líder.

Um pastor facilmente irritável fatalmente tornar-se-á uma marionete nas mãos de Satanás, que saberá provocá-lo com toda a sua astúcia e arruinar o seu ministério. Calma, gentileza, auto-controle devem estar presentes no pastor qualificado.
__________________________
Por Juliano Heyse
FonteBom Caminho

Notas
Comentário Bíblico Popular – Novo Testamento – William MacDonald – Ed. Mundo Cristão
The Broadman Bible Commentary – Broadman Press
The MacArthur Bible Commentary – Thomas Nelson Publishers
Bíblia OnLine 3.00 – SBB
Definindo o que são presbíteros – artigo de D.A.Carson - http://www.bomcaminho.com/dac001.htm
The New American Commentary – Broadman Press
Chave Linguística do Novo Testamento Grego – Ed. Vida Nova
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...