terça-feira, 26 de agosto de 2014

Qualificações dos presbíteros: Não arrogante

Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus,não arrogante... Tt 1:7
Introdução

Esta qualificação só aparece na lista de Tito e usa uma palavra que é composta de duas outras: autos (prefixo comum que neste caso quer dizer "a si mesmo") e hedone (de onde vem nossa palavra "hedonismo"). Ou seja, trata-se de alguém que agrada a si mesmo. Deixemos os comentaristas falarem.

Grego

• Em Tito μη αυθαδηζ - me authades

Strongs - orgulhoso, teimoso, obstinado, arrogante.

Rienecker e Rogers - obstinado em sua própria opinião, teimoso, arrogante, alguém que se recusa a obedecer a outras pessoas. É o homem que mantém obstinadamente sua própria opinião, ou assevera seus próprios direitos e não leva em consideração os direitos, sentimentos e interesses de outras pessoas.

Outras versões

Outras traduções do mesmo termo em português:
Almeida Revista e Atualizada (ARA) não arrogante
Nova Versão Internacional(NVI) não orgulhoso
Almeida Revista e Corrigida(ARC) não soberbo
Nova Tradução na Linguagem de Hoje(NTLH) não deve ser orgulhoso
Tradução Brasileira(TB) não seja obstinado

Comentários

• Broadman – teimoso, arrogante.

• D. A. Carson (-)

• Jamieson, Fausset e Brown – literalmente, "que agrada a si mesmo"; que não tem consideração pelos outros; grosseiro, o oposto de "amante da hospitalidade" (Tt 1:6); como Nabal (1 Sm 25:1-44); amante de si mesmo e dominador; um espírito assim incapacita para liderar um rebanho receptivo em vez de controlar.

• João Calvino – Com toda a razão ele condena este defeito em um bispo, cuja missão é não só de receber gentilmente aqueles que vem até ele, mas também de atrair aqueles que se afastam, para que ele possa conduzir a todos de forma idêntica a Cristo. Ora, αυθαδεια (como Platão afirma em uma de suas epístolas a Dion) τηζ ερημιαζ εστι ξυνοικοζ que quer dizer: "obstinação está intimamente ligada à solidão", porque a sociedade e a amizade não podem ser apreciadas, quando cada homem agrada a si mesmo a ponto de se recusar a ceder e a acomodar-se a outros. E, com efeito, toda pessoa (μη αυθαδηζ) obstinada, assim que aparecer a oportunidade, tornar-se-á instantaneamente um fanático.

• John Gill – não fazendo coisas na adoração e na casa de Deus, no ministério da palavra, e na administração das ordenanças, de acordo com a sua própria vontade, mas de acordo com a vontade de Deus, revelada em Sua Palavra; caso contrário o que ele faz será em nome da adoração de si mesmo. Ou obstinado, teimoso e inflexível, convencido de sua própria percepção e julgamento, e resoluto em impor sua própria vontade e modo de agir em todas as coisas relativas aos assuntos da casa de Deus. A palavra significa alguém que está satisfeito consigo mesmo, tem uma opinião elevada de si mesmo, é orgulhoso e arrogante, e menospreza os outros.

• John MacArthur – "arrogante" é a tradução de authade, um adjetivo extraordinariamente forte que denota um egoísmo arrogante que afirma sua própria vontade com absoluto descaso em relação a como outros poderiam ser afetados. Egoísmo orgulhoso é, de uma maneira ou de outra, a raiz de todo o pecado, porque não só desconsidera os interesses e bem-estar de outras pessoas mas, ainda mais importante, desconsidera a vontade de Deus e substitui Seu propósito e glória pelos do homem.(...)

O mundo normalmente procura a pessoa agressiva, autoconfiante, para funções de liderança. Mas essas características desqualificam um homem para liderança na igreja, onde um homem obstinado não tem lugar. Todo crente, e certamente todo líder de igreja, tem que combater continuamente a batalha contra a obstinação carnal, a auto-satisfação e a glória pessoal.

Depois de repreender Tiago, João e a mãe deles por buscar lugares de honra mais elevada para esses dois homens próximos a Jesus no Seu Reino, o Senhor disse: "Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridade sobre eles. Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo; tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.(Mt 20:25-28).

• Matthew Henry – A proibição é ampla, excluindo opinião própria, ou vaidade jactanciosa a respeito de habilidades e talentos e o estar cheio do senso de si mesmo, de amor próprio e egoísmo, fazendo do ego o centro de tudo, e agradando a si mesmo, tendo pouca consideração pelos outros, sendo orgulhoso, teimoso, insubordinado, inflexível, agarrado à sua própria vontade e modo de agir, ou intratável como Nabal. Tal é o sentido que os expositores associaram ao termo. É uma grande honra para o ministro não ser afetado desta forma, estando pronto a perguntar e a buscar conselho, estando pronto a submeter-se, tanto quanto possível, à mente e à vontade de outros, tornando-se todas as coisas para todos os homens, a fim de ganhar alguns.

• New American Commentary – Ele deve ser flexível nas suas próprias opiniões, considerando os pontos de vista de outros, e especialmente aberto e ansioso por fazer a vontade de Deus. O líder cristão deve ser sensível em usar a autoridade de formas que verdadeiramente promovam a obra de Deus e não qualquer agenda pessoal.

• William MacDonald – Se um homem é obstinado, se desconsidera opiniões diferentes das dele, se é irredutível e intolerante à contradição, está inapto para ser líder espiritual. O presbítero é um moderador, e não um autocrata dogmático.
Conclusão

Não há muita polêmica quanto a essa qualificação. Indivíduos arrogantes, egoístas, que não ouvem os outros, que pensam que a igreja esperou dois mil anos para que eles nascessem com suas idéias brilhantes e seu desprezo pelos outros, certamente não servem para serem líderes na igreja do Senhor. Na igreja os líderes servem com suas vidas como o Senhor mesmo fez. A influência do mundo fez com que muitas igrejas buscassem esse tipo de "pavões" para serem líderes, como MacArthur apontou. A extensa lista de Matthew Henry indica bem tudo o que eles são.

A humildade é a maior virtude de todas para o cristão. Por isso um presbítero não pode ser arrogante e obstinado. Indivíduos assim são uma praga para a igreja do Senhor como membros, que dirá como líderes. Que Deus tenha misericórdia de nós e nos dê grandes homens como Spurgeon e Lloyd-Jones a quem as criancinhas procuravam sem medo e eram sempre recebidas com toda a alegria por estes grandes profetas do Senhor. Longe de nós os auto-intitulados bispos e apóstolos e outros dominadores e enganadores desse tipo.
___________________
Por Juliano Heyse
FonteBom Caminho

Notas
Comentário Bíblico Popular – Novo Testamento – William MacDonald – Ed. Mundo Cristão
The Broadman Bible Commentary – Broadman Press
The MacArthur Bible Commentary – Thomas Nelson Publishers
Bíblia OnLine 3.00 – SBB
Definindo o que são presbíteros – artigo de D.A.Carson - http://www.bomcaminho.com/dac001.htm
The New American Commentary – Broadman Press
Chave Linguística do Novo Testamento Grego – Ed. Vida Nova
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...