quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

A Doutrina da Trindade [21/29]


NAS ESCRITURAS, DESDE A PRÓPRIA CRIAÇÃO, SE ENSINA UMA ESSÊNCIA ÚNICA DE DEUS, QUE EM SI CONTÉM TRÊS PESSOAS

21. A atitude própria em relação a esta doutrina e às heresias que se lhe opõem

Como, porém, Satanás, no afã de secionar-se a fé das próprias raízes, tem sempre suscitado lutas ingentes, em parte quanto à divina essência do Filho e do Espírito, em parte quanto à distinção pessoal; e como em quase todos os séculos tem instigado espíritos ímpios, para que, nesta matéria, molestassem os mestres ortodoxos, assim também está ele hoje tentando das velhas brasas acender novo fogaréu. Aqui, faz-se necessário ir ao encontro dos desatinos perversos de determinados indivíduos.

Até aqui meu propósito tem sido principalmente conduzir pela mão aos que se deixam de bom grado ensinar, não propriamente travar da mão em luta com os obstinados e contenciosos. Mas agora impõe-se defender de todas as invectivas dos réprobos a verdade que tem sido pacificamente exposta, ainda que o esforço primordial se voltará a isto: a que todos quantos derem ouvidos ávidos e abertos à Palavra de Deus tenham como manter-se de pé e firmeza.

Entendamos que, se nos mistérios secretos da Escritura nos convém ser sóbrios e modestos, certamente este que no momento tratamos não requer menos modéstia e sobriedade; mas é preciso estar bem de sobreaviso, para que nem nosso conheci- mento, nem nossa língua vá além do que a Palavra de Deus nos designou.71 Pois, como haja a mente humana, que ainda não pode estatuir ao certo de que natureza seja a massa do sol, que entretanto se vê diariamente com os olhos, de reduzir à sua parca medida a imensurável essência de Deus? Muito pelo contrário, como haja de, por sua própria operação, penetrar até a substância de Deus, a fim de perscrutá-la, ela que não alcança nem ao menos a sua própria? Por cuja razão, de bom grado deixemos a Deus o conhecimento de si mesmo, pois, além de tudo, como o diz Hilário, ele próprio, que não foi conhecido, a não ser por si mesmo, é de si mesmo a única testemunha idônea.72 Ora, deixaremos com ele o que lhe compete se o concebermos tal como ele se nos manifesta; e só poderemos inteirar-nos disto por intermédio de sua Palavra.73

Existem, quanto a esta questão, cinco homílias de Crisóstomos contra os anomeus, com as quais, entretanto, não conseguiu coibir a presunção dos sofistas, sem que dessem rédeas soltas a sua verbosa loquacidade, pois aqui em nada se fizeram mais modestamente do que costumam fazê-lo em todas as demais. Pelo mui infeliz resultado de qual temeridade nos importa ser advertidos, para que tenhamos o cuidado de aplicar-nos a esta questão com docilidade mais do que com sutileza, não inculcamos no espírito ou investigar a Deus em qualquer outra parte que não seja em sua Sagrada Palavra, ou a seu respeito pensar qualquer coisa, a não ser que sua Palavra lhe tome a dianteira, ou falar algo que não seja tomado dessa mesma Palavra.

Ora, se a distinção que em uma só e única divindade subsiste de Pai, Filho e Espírito, posto que é difícil de apreender-se, causa a certos espíritos mais dificuldade e problema do que é justo, deve ter-se na lembrança que as mentes humanas mergulham em um labirinto quando cedem à sua curiosidade, e assim, por mais que não alcancem a altura do mistério, deixam-se reger pelos oráculos celestes.
_____________________
Por: João Calvino
Fonte: As Institutas. Volume I, capítulo XIII

Notas
71. Primeira edição: “Aqui, mui certamente, se alguma vez, em qualquer parte, nos recônditos mistérios da Escritura, importa discorrer sobriamente e com muita moderação, aplicada, ademais, muita cautela, para que, seja o pensamento, seja a língua, não avance alé do ponto a que se estendem os limites da Palavra de Deus.”
72. Da Trindade, livro I, capítulo 19.
73. Primeira edição: “E [Lho] estaremos deixando, se, de fato, O concebermos tal qual Se nos revela, nem buscarmos conhecimento a Seu respeito de outra fonte que de Sua Palavra.”
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...