segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Estudando a Epístola de Tiago - Parte 05

Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.
Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas. Tiago 1:17,18
Vivemos em mundo em que Satanás nos tenta a todo o momento. O líder da Igreja de Jerusalém nos revela que um dos motivos de evitar a consumação da tentação, é saber que tudo o que há de bom para nós procede de Deus. Todas as dádivas são provenientes de Sua graça e bondade, inclusive o novo nascimento.
17. toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança.
Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto. Isso mesmo, tudo que é bom nesta vida é o Senhor quem nos dá. A bondade Divina serve como uma âncora para nos resgatar de qualquer naufrágio no mar do pecado. Ao olharmos para o quanto Ele é bom e tem sido bom para conosco, o prazer do pecado deve desaparecer. Se pensarmos que Ele nos protege, nos da fôlego, saúde, esperança eterna e redenção pelo sangue de Jesus, o pecado perde “sua graça”. O sol que brilha ao meio dia, as grandiosas chuvas, o terrível frio e o intenso calor, são bênçãos de Deus. Podemos não compreender, mas com certeza devemos crer que elas são benefícios divinos. Deus em sua bondade nos providência o necessário para a vida aqui na terra; muitas vezes não entenderemos essa verdade, mas podemos crer nisso.

Descendo do Pai das luzes. Não obstante nos fazer objeto de Sua bondade, Tiago diz que Ele faz isso constantemente. O verbo descendo está no presente particípio, cujo significado é: continua sempre descendo. O Senhor não apenas usa de bondade para conosco, Ele faz isso constantemente. Todos os dias Ele nos concede o ar para respirarmos, o sol para iluminar nosso dia, a noite para que venhamos a descansar e muitas outras coisas que nem mesmo vemos, mas Ele derrama sobre nós.

Em quem não pode existir variação ou sombra de mudança. Deus não pode mudar. Seu Ser é imutável (Ml 3.6). Ele não pode piorar porque é Santo, nem melhorar porque é Perfeito. Quando a tentação bater à nossa porta devemos nos lembrar de quem servimos. A simples lembrança de quem é o Senhor fará com que todas as hostes do inferno tremam diante de nós. As tentações podem ser evitadas quando eu e você lembrarmos de que tudo o que é bom vem de nosso Criador. Ele não muda, Ele nos ama em todos os momentos.

Davi pecou com Bate-Seba por não ter lembrado o quanto Deus era bom ( 2 Samuel 12:7,8). José venceu a tentação na casa de Potifar por ter se lembrado da bondade de Deus (Gn 38:8,9). Assim, irmãos, a tentação é algo que não pode ser evitada, mas que pode não ser realizada. Podemos sim ser tentados, mas que ao lembrar o quão bom é Deus para conosco, a vontade de deitar com o pecado desaparece como a neblina do copo de café. A tentação vem para que depositemos toda nossa confiança na bondade de Deus. Suas palavras para Paulo ressoam da mesma intensidade “a minha graça te basta”, ou seja, a bondade de Deus é mais prazerosa do que o pecado.
18. Pois, segundo seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fossemos como que primícias de suas criaturas.
Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade. Agora Tiago nos afirma que podemos vencer o desejo de pecar, pois somos nascidos de Deus, mediante Sua palavra. A palavra gerou implica que Deus efetuou um novo nascimento em nós. Fora dito a Nicodemus que era necessário o nascer de novo para entrar no reino dos céus. Mas esse nascimento acontece unicamente pela vontade do Senhor ( João 1.13, 3.6). A Palavra de Deus tem uma função sublime nesse processo (1 Pe 1.23). Deus em sua sabedoria e bondade nos providenciou uma nova vida. Vida esta que deve ser governada pelo Espírito Santo para que venhamos vencer a tentação ( Romanos 8.1-11). A Palavra e o Espírito são os agentes de Deus nesse propósito. Ambos são meios que não somente nos trouxeram a vida, mas que são à base de sustentação em nossa caminhada rumo ao céu.

Para que fossemos como primícias das suas criaturas. Para o judeu as primícias são os mais excelentes frutos da colheita. Tiago aqui revela que o nosso novo nascimento significa que somos as criaturas mais exaltadas e excelentes de toda a criação.

Por ter essa posição nós cristãos não devemos de forma alguma querer viver na prática do pecado. Recebemos um novo nascimento, devemos viver nele e fugir da antiga vida (Jo 3.3). A vida concedida pelo novo nascimento nos ajuda a vencer a tentação. Devemos nutrir nossa nova vida com a Palavra de Deus, com a oração diária e com os meios da graça que nos fazem ser cheios do Espírito Santo.
________________________
Estudos na Epístola de Tiago
Por Wellington Toddy
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...