terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Atravessando o Inverno Espiritual (Parte 1)

Meu caro amigo e irmão, 
Entendo perfeitamente o que você está passando. Sei como é esse inverno na vida espiritual. Ela se torna mecânica e fria, quase sem vigor. É fato que a jornada cristã é marcada por “altos” e “baixos”. Isso, entretanto, não retira nossa responsabilidade de lutar por um espírito vigoroso e alinhado com a vontade de Deus. Por isso, sua preocupação é extremamente válida e demonstra a realidade de sua conversão, o que, por si só, já deve produzir alegria e descanso no seu coração (1Jo 1.4). 
A questão é que tal realidade também é conhecida por Satanás. Ele, como acusador que é (Ap 12.10), aproveita-se desses momentos para jogar ainda mais neve em nosso já congelante inverno. Assim, muitas vezes, fica difícil sequer crermos no poder de um fogareiro ou na eficácia de um cobertor. O medo da negligência espiritual chega a nos consumir diante das acusações de Satanás e todo o esforço parece vão. 
O verdadeiro cristão compreende que a ausência de uma vida espiritual firme traz consequências extremamente severas e prejudiciais a todas as demais áreas de nossa vida. E um desses efeitos é uma espécie de tristeza, que, creio eu, você esteja sentindo agora. Essa tristeza é contemplada na Escritura em 2Coríntios 7.8-11. 
Aqui, note que os coríntios haviam compreendido seus pecados apontados por Paulo na primeira carta e estavam tristes por isso. Mas o apóstolo os adverte acerca do resultado que tal tristeza deve produzir: o arrependimento genuíno, que é acompanhado por frutos como “... dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade [do estado anterior ao pecado], que preocupação, que desejo de ver a justiça feita”. 
Essa é a tristeza sadia, que precisa permear nossos corações quando estamos insatisfeitos com uma situação de nossa vida espiritual. Ela gera ações práticas que nos fazem sair de nosso estado de inércia. 
A outra tristeza descrita por Paulo, que é segundo o mundo e produz a morte, é resultado do desespero de não ter o perdão de Deus. E é isso que o diabo quer produzir nos servos do Senhor. O crente, portanto, deve estar atento a isso, pois Satanás fará de tudo para destruir a certeza e alegria do perdão que os filhos de Deus possuem (1Jo 1.7,9). 
Mas, com isso em mente, como lutar por uma vida espiritual mais vigorosa? 
Em primeiro lugar, acho que devemos aprender a viver um dia de cada vez. Isso até pode parecer algum jargão de MPB, mas, na verdade, é algo extremamente bíblico e relevante para nós. 
Em Mateus 6.33-34, Jesus fala sobre vivermos o hoje. Você já parou para pensar que o Senhor, quando diz “basta a cada dia o seu próprio mal”, está afirmando que: 1) teremos o mal; e 2) precisamos lutar contra esse mal no dia determinado a ele? 
Assim, viva suas batalhas espirituais hoje (e somente hoje). Não se preocupe com o maná de amanhã, pois ele virá. Preocupe-se em ler a Bíblia naquele dia. Preocupe-se em orar naquele dia. Preocupe-se em estar em comunhão com Deus naquele dia. Enfim, viver um dia de cada vez nos auxilia a desenvolver hábitos naturais ao invés de simples imposições de horários e rotinas para determinadas atividades.
________________
Por Níckolas Ramos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...