sábado, 6 de fevereiro de 2016

Calvinista faz apelo? Eu vou fazer um!

Minha sugestão a todos os jovens (ainda) arminianos é que se debrucem sobre dois temas importantes ligados à teologia cristã: os decretos e a providência de Deus. Esses temas são intrigantes e vão causar algum desconforto intelectual e até emocional. Inconformismos e irritações também surgirão, mas prossigam. Muitos jovens têm feito isso e descoberto um universo teológico fantástico, ainda que isso tenha lhes custado até a expulsão de suas igrejas (o que, na maior parte dos casos, não representou uma perda muito grande).

Leiam sobre esses temas especialmente em comentários exegéticos e não livretes devocionais. Certamente, será um tratamento de choque, mas só isso pode livrar a mente humana da bolha soporífera e anestesiante que produz alucinações simplistas sobre Deus e piadinhas blasfemas, frutos dessas mesmas alucinações.

Já passei por esse processo. É difícil e doloroso, mas o resultado é uma teologia madura, que nos humilha e nos torna mais dependentes de Deus — também uma teologia capaz de nos sustentar em face dos dilemas da vida, com gratidão tributada a um Deus de mente inescrutável, cuja bondade e santidade infinitas se expressam de formas, às vezes, incompreensíveis, mas sempre reais. Acreditem nisso. Vocês verão!

O arminianismo com suas técnicas humanas usadas para "ganhar almas" banalizou a igreja. Agora, com o robustecimento do antigo calvinismo (ou paulinismo) essa vertente tem sofrido perdas imensas. Os jovens, especialmente, têm despertado e, cansados de doutrinas de palha, têm feito diferença, estudando profundamente a teologia cristã e se tornando calvinistas. Participem desse novo despertar. Abandonem a teologia dos jargões vazios e adotem um modelo sólido, construído sobre a boa exegese e não sobre intuições e sentimentalismos rasos.
______
Por Marcos Granconato
Fonte: Perfil pessoal no Facebook
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...