terça-feira, 25 de abril de 2017

Paulo, servo de Jesus Cristo

Paulo, servo de Jesus Cristo. Rm 1.1a

As introduções dos textos bíblicos na maioria das vezes passam despercebidas pelos leitores apressados. As pessoas leem o começo dos textos rapidamente e sem muita atenção, pois para elas a prioridade do texto é o tema central, e a introdução é simplesmente uma abordagem funcional, formal e mecânica e por isso não contém nada para nos dizer. Isso infelizmente é uma grande bobagem. As introduções possuem ricos ensinos, e quero comentar um pouco sobre uma parte da introdução a Carta as Romanos.

As primeiras palavras de apresentação referem-se a Paulo e seu Senhor, Jesus Cristo. O apóstolo descreve aquilo que em seu ser está bem claro, ele é servo, ou melhor, escravo de Jesus. A palavra grega utilizada ali é doulos, que significa escravo. O maior teólogo, missionário e plantador da Igreja de toda a história descreve-se como escravo de Jesus. Aqui Paulo está explicando a quem ele pertence. Paulo não era mais de si mesmo, mas sim escravo, propriedade de Jesus.

Antes de continuarmos a explicação é necessário dar alguns esclarecimentos. O termo escravo utilizado aqui e presente na cultura romana é completamente diferente do conceito que temos nos dias de hoje. Em nossa sociedade/história marcada pelo tráfico negreiro, exploração, maus tratos e mortes a palavra escravo é pejorativa. Talvez por isso os tradutores troquem escravo por servo. Mas no mundo bíblico no qual Paulo está inserido a palavra contém uma conotação diferente. A palavra escravo é utilizada para designar alguém que pertencia a outro ser. Essa pessoa agora era senhor da vida deste, sendo responsável legal por aquele indivíduo que é seu escravo. Em Roma, os escravos não recebiam os mesmos castigos que infelizmente os escravos que nossa história conta receberam. Antes, eles eram tratados de modo diferente, visto que as leis romanas proibiam o maltrato, descaso e morte destes.

Feito as devidas explicações vamos continuar nosso texto. A palavra contém alguns significados mais profundos, iremos aqui focar em dois deles. O primeiro é sobre o cuidado que o senhor tinha pelo escravo. O outro é sobre o escravo ser propriedade única e exclusiva de seu dono.

Ao contrário daquilo que nossos registros históricos mostram, em Roma o senhor deveria providenciar tudo o que era necessário para o escravo poder servi-lo. Ele deveria dar uma lar, comida, bebida e proteção. O mestre tinha como responsabilidade possibilitar as condições necessárias para que o escravo pudesse realizar seu trabalho, que consistia em trabalhar para o inteiro agrado de seu dono. Já que tudo o que era requerido para viver era lhe dado o escravo poderia concentrar suas forças em cumprir a vontade de seu mestre. O propósito dele era alegrar o coração de seu Senhor. A alegria de seu amo era o propósito do serviço do escravo.

Uma segunda característica do termo é sobre a exclusividade do escravo. Ele pertencia unicamente ao seu Senhor. Nenhum outro poderia tê-lo como sua propriedade. Ninguém poderia toma-lo para si. O escravo pertencia ao seu dono até a morte, seja dele ou de seu Senhor. Isso dava ao escravo uma singularidade. Ele pertencia somente a uma pessoa, e somente a ela estava ligada.

Essas duas ideias nos remetem ao que está por detrás dessa simples saudação. Paulo está nos falando que somente a Cristo ele pertence. Que como sua propriedade exclusiva ele vivia para seu inteiro agrado. O apóstolo está nos dizendo que tudo o que ele tem é dado por Jesus desde o alimento, roupa e proteção de sua própria vida. O escravo Paulo está nos comunicando que pertence a Jesus de Nazaré e sua vida está ligada a ele. Jesus para Paulo é a razão de viver, o motivo, propósito que o mantém de pé e o faz se mover. Paulo não é escravo do pecado, do mundo ou de Satanás. Ele é escravo do Rei da glória. Aquele que por seu sangue o comprou, livrou e agora o chama para proclamar as suas virtudes a toda criatura.

É nesse sentido que ele inicia sua carta aos romanos. Paula sabia a quem pertencia. Ele tinha pleno conhecimento acerca de seu Senhor. Uma pergunta, você sabe isso? Isso é uma realidade nova, ou simplesmente algo sem sentido?

Viva para Cristo, você é propriedade exclusiva dele. Ele cuida de você.

Você como Paulo, é escravo de Jesus Cristo?

Livro utilizado como base: Escravo; John MacArthur; Editora Fiel.

Autor: Wellington Leite ( Toddy)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...