segunda-feira, 17 de abril de 2017

Experiência Cristã

Você já viu alguém sofrer? Já observou pessoas em casos de doença terminal sofrendo tanto, que você pergunta por que ela passa por determinados sofrimentos? Você já assistiu pessoas cristãs piedosas, vivendo algum tipo de sofrimento ou sofrendo de diversas maneiras? Você já perguntou qual o propósito de Deus no sofrimento dos seus filhos?

O espinho na carne de um cristão, ou seja, o sofrimento daqueles que são regenerados pelo Espírito Santo, tem como objetivo o aperfeiçoamento e o emergir do amor eletivo. O sofrer produz e conduz o servo de Deus a uma sensibilidade a dor dos que estão necessitados de consolação. Além disso, o ser humano não gosta de passar por humilhação, nem sofrimento. Agora, o fato de não gostarmos, não quer dizer que não vamos passar.

Ao contrário do que muitos pensam, o cristianismo não é uma religião que louva o sofrimento, mas louva no sofrimento. As Sagradas Escrituras exortam-nos a ter alegria, e exultarmos nas próprias tribulações. E por quê? Porque há um plano de Deus e um propósito no sofrimento de produzir perseverança, experiência e esperança. (Tg1:2,3).

Quando se fala em sofrimento ninguém sofreu mais que nosso Senhor Jesus. No jardim do Getsêmani, Jesus sofreu de forma silenciosa os nossos pecados. Nosso salvador sofreu a agonia intensa pelo pecado dos eleitos e também as ofensas desses que Ele teria que expiar. Essa agonia foi tanta que literalmente ele suou gotas de sangue. O autor Alister McGrath falando sobre o sofrimento de Cristo na crucificação menciona um famoso adágio sobre a profissão de médico: “Só o médico ferido é capaz de curar”. McGrath depois de citar esse adágio declara: “O Deus que se oferece para curar as feridas de nosso pecado já foi ferido por pecadores”. Deus sabe o que é sofrer. Por que Jesus passou por esse sofrimento todo, tendo a pior morte: a cruz? Por amor.

Sem dúvida quando amamos os nossos irmãos, ficamos mais generosos. Não apenas em palavras, mas em obras. Sendo capacitados a enfiar a mão no bolso e socorrer a pessoa que está aflita ao seu lado. Dessa forma, Deus permite o sofrimento em nossa vida para que possamos colocar os dons que Ele mesmo nos deu a serviço do povo. Então o sofrimento tem o propósito de não nos deixar viver uma vida egoísta, mas sim para glória de Deus.

Por certo, o sofrimento nos traz quebrantamento e humildade mostrando que Deus é gracioso, nos sustenta e desta forma continua a boa obra em nossas vidas. Ademais, o cristão verdadeiro não gosta de sofrer, mas crer que o sofrimento é uma oportunidade de aprendizado.

Em resumo, o cristão espiritual fica doente, fica desempregado, perde filho, perde bens materiais, morre de doenças como acontece com todos, mas Deus passa essas circunstancias com ele. Além do mais, o sofrimento não é sinônimo de que sua vida está em pecado (Jo 9: 1-12). Logo, assim como o pecado atinge o corpo, a mente, as emoções, ser afligido afeta o nosso espírito. Sofrer nos indica que precisamos da graça de Deus e nos faz testemunhar de Cristo Jesus para glória do Pai. Temos um Deus conosco em momentos difíceis de sofrimento, um Deus presente nas noites escuras da nossa caminhada cristã.

Amém
SOLI DEO GLORIA

 McGrath, Alister E. Creio: um estudo sobre as verdades essenciais da fé cristão no Credo Apostólico/ Alister  E.McGrath; tradução de James Reis- São Paulo: Vida Nova, 2013, p. 85
 Lopes, Hernandes Dias, Sofrimento e vitória/ Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Arte Editoria 2011
Autor: Georgington de Souza Ribeiro
Revisor: Thiago Andrade
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...