domingo, 14 de maio de 2017

Jesus presente no culto

“E eis que estou convosco todos os dias até à consumação dos séculos.”        
Mateus 28:20b
Há uma semana escrevi sobre a Reforma do culto. Afirmei que muitas igrejas precisam reformar vários aspectos dos seus cultos inclusive a reverência. Que os cultos dessas comunidades ditas “evangélicas” são, na sua grande maioria, centrados em homens e num materialismo absurdo, onde pensam apenas em bens, no aqui e agora, motivados por interesse e não por devoção. Também abordei a questão do sincretismo religioso, ou seja, utilizar elementos de outras religiões.
Hoje quero tratar da presença de Cristo por meio do Espírito Santo (Mt 18.19) no culto. O Espírito Santo representa e assume a ausência física de Cristo, assim pois Ele faz todas as coisas que Cristo fez pelos seus discípulos (Jo16:13-15). Por isso Cristo está agora em toda parte conosco.
“E eis que estou convosco todos os dias até à consumação dos séculos.” Mateus 28:20b
A igreja se reúne em nome de Cristo e é alimentada pelo próprio Pão da Vida que também dá a vida eterna. (Jo 6:51-58). Mas a igreja que recebe descanso em Cristo, com sua presença majestosa recebe a presença daquele que tem o poder para salvar.
Assim, a igreja não manipula a presença de Jesus dando ordens a Ele e exigindo Sua presença como se as ofertas e os dízimos fossem para pagar o “cachê” do Senhor, comparando-o a um profissional de entretenimento, um bajulador para alimentar o ego alheio, um gênio de uma lâmpada mágica que concede desejos, ou ainda vê-lo como se nós fossemos patrões e Ele, o Rei dos reis, fosse nosso escravo. A presença de Cristo é uma ação livre do próprio Cristo. Devemos compreender que a igreja deve implorar pela presença do Senhor.
Por isso a presença do nosso Senhor Jesus não é manipulada pelo ministro da palavra ou por qualquer outro que dirige ou que conduz o louvor em certo momento do culto. Até porque ninguém tem poder para tal prática. Mas algumas pessoas acham que tem esse poder e agem como se pudessem falar para o Senhor desta maneira arrogante:
– Agora pode entrar Jesus, é sua vez, você é obrigado a dar o que eu quero, já ofertei!
Não é assim. A presença de Jesus é maravilhosa, mas não uma ação realizada de forma mecânica. A presença de Jesus é oriunda de Sua maravilhosa graça.
Dessa forma, o culto da igreja é verdadeiro porque Jesus Cristo está presente, como Senhor soberano no meio dos que se reúnem em Seu nome. (J.J von Allmen, 2006). Mas é importante dizer que o fato de não controlarmos a presença de Jesus, não é o mesmo que afirmar que o Senhor não irá visitar Sua Igreja, como observa o Dr. von Allmen.
É importante enfatizar que a convicção da presença de Cristo no culto é produzida pela fé, assim como adoração cristã não é possível sem ela (fé). É pela fé que a igreja está segura da presença sublime do ressurreto nos cultos prestados a Ele próprio. Além disso, o cristão só põe sua fé na graça excelsade Jesus. E é mediante essa fé e no favor imerecido que oramos na certeza de que somos ouvidos, e é sabido que em toda história da igreja a oração era indispensável, não só para pessoalidade do cristão, mas no momento de reunião solene, ou seja, de culto litúrgico.
“III. A oração com ações de graças, sendo uma parte especial do culto religioso é por Deus exigida de todos os homens; e, para que seja aceita, deve ser feita em o nome do Filho, pelo auxílio do seu Espírito, segundo a sua vontade, e isto com inteligência, reverência, humildade, fervor, fé, amor e perseverança. Se for vocal, deve ser proferida em uma língua conhecida dos circunstantes.” Confissão de Fé de Westminster capítulo 21 do culto religioso e do domingo.
Por certo que o momento de culto é o encontro de Deus com o seu povo. O culto religioso deve ser prestado a Deus Pai, Filho e o Espírito Santo; não deve ser prestado nem aos anjos, nem aos santos, nem a qualquer outra criatura; deve ser prestado a Deus pela mediação de Cristo.
Dessa forma, Deus com sua glória nos livra da cegueira espiritual na qual nos encontramos e assim o culto cristão deve ser prestado a Trindade, Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Por isso devemos com reverência, amor e humildade entoar louvores a Deus. Porque tudo foi dado ao Filho, as manifestações de amor, da graça e da vontade do Pai, tudo o que propusera desde a eternidade e tudo o que fora necessário de seu poder e bondade para trazer seus eleitos à glória eterna foram dados a Jesus Cristo, e é o Espírito Santo que nos revela tudo que é de Cristo e devem ser mostradas aos cristãos. Porque:
“...eis que estou convosco todos os dias até à consumação dos séculos.”                                 
Mateus 28:20b
Soli Deo Gloria

Por: Georgington de Souza Ribeiro
Revisão: Thalyta Priswa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...