quarta-feira, 3 de maio de 2017

Reforma do Culto


“Louvai ao Senhor. Ó minha alma, louva ao Senhor.
Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu for vivo.”

Se você é uma pessoa que tem o hábito de observar a forma que as pessoas agem em alguns cultos de igrejas ditas “evangélicas”, você simplesmente já deve ter ficado assustado ou ficará. Os cultos destas igrejas são centrados em homens e em um materialismo absurdo. Não precisa sair da sua igreja e ir para tais comunidades eclesiásticas para ver que estas igrejas não estão tendo uma palavra genuinamente bíblica e muito menos seus cultos centrados em Cristo, basta passear pelos canais de televisão e você verá isso. É perceptível, para quem tem certo conhecimento das Sagradas Escrituras, que os líderes destas comunidades eclesiásticas estão praticando atos não bíblicos. 


Hoje é comum pessoas afirmarem que cada um cultua do seu jeito. Já ouvi muito isso e acredito que você, caro leitor, também. É na verdade um jeito novo de usar a expressão popular “cada macaco no seu galho”, ou seja, que cada pessoa deve preocupar-se apenas com aquilo que lhe diz respeito. O apóstolo Paulo nos instrui assim: “Por isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis.” (1 Tessalonicenses 5:11). Entretanto, essa orientação de Paulo não tem sido colocada adequadamente em prática. Observei que alguns debates cristãos culminam em brigas e acusações mútuas, onde os participantes acusam-se de hipócrita e afirmam que o outro acredita que só o culto de sua igreja é teologicamente correto. Precisamos ter cuidado para que nossas mentes não estejam em nós mesmos. 

A maioria das igrejas evangélicas de hoje têm esquecido o propósito de sua existência. Algumas igrejas têm inserido em seus cultos elementos de outras religiões praticando, assim, o sincretismo religioso. David F. Wells afirmou: “temos vivido um paraíso de tolos” por tentarmos usar ferramentas seculares para termos solo próspero, entregando-nos ao pragmatismo, e o resultado disto é o abandono da teologia ortodoxa e da herança evangélica.

Devido ao problema de usar ferramentas seculares dentro das igrejas evangélicas, cabe a reflexão na frase do facebook que diz:

“Antes eu dizia: Procure a igreja mais próxima da sua casa. Hoje eu digo: Procure a igreja mais próxima da sua Bíblia.” (Autor desconhecido)

É muito triste ver o estado que algumas igrejas se encontram. O reverendo James Boice afirma que antigamente os crentes eram comumente conhecidos pela sua teologia. Hoje, entretanto, são definidos gradativamente por seu estilo. Dr. Boice chama atenção para o fato de que antigamente costumava-se procurar pastores que conheciam a Bíblia. Hoje os cristãos procuram por ministros com habilidade de gerenciamento de recreação.

Afinal, o que é o culto? culto é o ato de valorizar a Deus, atribuindo a verdadeira exaltação. A palavra “culto” deriva do Latim, cultu, e significa adoração ou homenagem a Deus. Etimologicamente, o termo latino cultu envolve a raiz colo, colere, que indica “honrar”, “cultivar”. Para isso precisamos de uma ortodoxia (opinião correta ou justa) e assim, ter a atitude de honrar a Deus no culto e expressar boas concepções sobre Ele, ou seja, glorificá-lO e valorizá-lO. 

O culto deve ser totalmente centralizado em Deus. Se assim não for, não estamos cultuando o Rei dos reis. No culto vivificamos a consciência da santidade do nosso Deus, alimentamos nossa alma, purificamos nossa imaginação, abrimos nosso coração e comprometemo-nos com a vontade e o propósito de Deus em nossas vidas.

Diante de todas as falhas cometidas pelas comunidades evangélicas abordadas no presente artigo é que vejo a necessidade de se reformar o culto em tais igrejas. E como fazemos isso? Invocando o nome do Senhor, pedindo em oração auxilio do próprio Deus Soberano, para que possamos adorar em espírito em verdade e tributarmos o culto que só a Ele é devido. 

Rogando ao Deus Triúno que tire de nós todas as ideias erradas a respeito dEle, diante do seu maravilhoso amor em Jesus Cristo, seu filho amado. Precisamos pedir que o Espírito Santo nos revele como agradar o Eterno para o louvor da sua glória. Que nossas confissões sejam carregadas de sinceridade e que possamos falar dos nossos pecados e sentir vergonha deles; ouvir a exposição da palavra magnífica, contida nas Sagradas Escrituras, de onde tiraremos nossa ortodoxia sobre os atributos maravilhosos de Deus, assim, glorificar ao Eterno do modo correto. 

Amém.
SOLI DEO GLORIA 

Autor: Georgington de Souza


Materiais usados: David Wells é professor de teologia sistemática e bíblica no Seminário Teológico Gordon- Conwell em Massachusetts.
Boice, James- O Evangelho da Graça- Editora Cultura Cristã- São Paulo- p.29
MULLER, Richard. Dictionary of Latin and Greek Theological Terms: Drawn Principally from the Protestant Scholastic Theology. Carlisle, United Kingdom: Paternoster Press, 1985, s. v. “cultus”.
http://www.teologiabrasileira.com.br/teologiadet.asp?codigo=334
Wiliam Temple, The Hope of a New World, 30. citado por Donald P. Hustad Jubilate! Church Music in the Evangelical Tradition( Carol Stram, III.: Hope, 1981), 78.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...