sexta-feira, 7 de julho de 2017

Não se engane, o diabo também diz crer

 
 A carta de Tiago tem um conteúdo de extrema praticidade. O autor convoca aqueles irmãos a viverem de acordo com a verdade do evangelho (2.12). Aquela comunidade de cristãos judeus estava vivendo inúmeras incoerências a respeito da fé evangélica. Havia pessoas que menosprezavam os pobres, patrões que não pagam os salários de seus empregados, julgamentos baseados na classe social e uma grande falta de amor entre eles (2.29; 3.14-26; 4.11; 5.1-6). No decorrer da narrativa, Tiago nos dá o seguinte argumento “Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem. ”(2.19). De forma clara e direta Tiago está dizendo: A mera profissão de fé, assimilação intelectual de fatos históricos não significa confiar, se submeter em obediência e adorar ao Senhor Jesus.
Nos dias de hoje, infelizmente o mesmo tipo de pessoa vem se adentrando aos recintos em que o corpo de Jesus está presente. Pessoas dizem que creem em Deus, mas  suas vidas não mudaram em nada. Elas são “cristãs”, mas vivem como pessoas que estão imersas no engano de Satanás. Esses não amam o próximo, rejeitam os seus líderes, vivem na prática do pecado, isso sem contar a falta de uma vida de oração e leitura da Palavra. Batem o pé com toda força gritando que são pessoas regeneradas, mas o que mais é possível ver em sua vida é uma conduta contrária aos ensinos sagrados.
   O capítulo dois dessa carta vem como uma marreta que reduz ao pó tal argumento pedregoso. Tiago nos diz que a fé sem obras é morta (2.17, 26). Seu ponto aqui é que os que se dizem crentes no Senhor Jesus devem viver uma vida que é compatível a tal declaração. A fé está intimamente ligada com a prática. Tiago revela que alguém que diz crer, mas não vive é um insensato (2.20). Crer, até os demônios creem, coisa que tais pessoas não fazem, visto que vivem de maneira oposta ao evangelho da graça.
   O ensino de Tiago é que a maneira que eu vivo deve ser um reflexo do que falo. Minha vida deve seguir os ensinamentos de Jesus, se digo que sou cristão. Tiago não está ensinando salvação por obras, mas sim uma conduta que é coerente ao que falamos. Não podemos dizer que acreditamos em Deus, mas vivermos como se ele não existisse. Não estou dizendo que seremos perfeitos, mas que o que Tiago está nos dizendo é que devemos professar e viver a mesma coisa. Pare e pense em sua vida. Será que aquilo que você diz é demonstrando na maneira que você vive? Existe um ditado muito interessante “aquilo que você diz grita tão alto que eu não consigo ouvir o que você fala”, por isso, alguns por suas atitudes têm sido motivo de tropeço para os descrentes.

    Sim, os demônios creem, mas não vivem o evangelho, rejeitam a Deus e sua verdade. Oro para que não venhamos nos parecer com tais seres malignos, mas sim que possamos ser bem-aventurados por que praticamos aquilo que dizemos, ou melhor, aquilo que o Senhor disse (1.25). Nossas palavras e ações devem andar em sintonia, pois o que passar disso é do maligno. 

Autor: Wellington Leite (Toddy)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...